Planejamento Archives - Sherlock Digital

GPA

Grupo Pão de Açúcar (GPA) contrata agência anglo-brasileira para aperfeiçoar a comunicação interna em sua rede de lojas

Posted by | Cases, Comunicação interna, Estratégia, Melhores práticas, Planejamento, Varejo | No Comments

Agência Sherlock Digital utilizará metodologias britânicas para otimizar o fluxo de informações na comunicação interna da maior rede varejista do Brasil

O Grupo Pão de Açúcar (GPA), maior rede varejista do Brasil e segunda da América Latina, anuncia a contratação da agência Sherlock Digital para prestar serviços de consultoria para apoiar a comunicação interna da sua rede de lojas, formada por mais de 2.100 pontos de venda. A agência anglo-brasileira será responsável pela elaboração do planejamento de comunicação, auditoria, soluções digitais e quadros de medição, bem como de uma série contínua de campanhas visando dar uma maior eficácia à comunicação interna entre as diretorias de negócios e os pontos de venda do GPA.

 

Encarregada de desenvolver uma estratégia de longo prazo para melhorar a eficiência na comunicação via e-mail, a Sherlock Digital atuará como uma equipe externa e de apoio à área de Comunicação Lojas do Grupo. A agência irá desenvolver ações e ferramentas que visam à diminuição da dependência do e-mail na comunicação interna, de modo a reduzir custos operacionais, melhorar a produtividade e gerar novas oportunidades de negócios.

 

Considerando a importância da comunicação interna às operações de negócios, estávamos procurando uma agência com credenciais de expertise de estratégia e de consultoria compatíveis com nossa empresa. A Sherlock Digital nos impressionou com a profundidade de sua compreensão de nossos objetivos de negócios, assim como pela clareza do seu pensamento sobre como devemos conduzir este processo de mudança cultural”, afirma Vivian Machado, coordenadora da área de Comunicação Lojas.

 

Viviane Cordeiro, sócia diretora da Sherlock Digital, explica que “o foco da agência é implementar soluções e processos digitais, por meio de campanhas multimídias, para criar uma nova cultura e compreensão da comunicação interna. Temos como objetivo mudar as percepções e a prática da utilização do e-mail para a comunicação da estratégia de negócios às lojas, conscientizando e engajando os envolvidos no processo”.

 

A capacidade de implementação da metodologia britânica de planejamento e mensuração de comunicação à realidade digital das empresas brasileiras foi um dos fatores decisivos na contratação da agência, diz Vivian Machado. “Vimos um grande diferencial em ter à nossa disposição a metodologia de planejamento e mensuração britânica, assim como uma equipe internacional que demonstra forte compreensão do tamanho e da complexidade do mercado brasileiro. A agência nos apresentou uma estratégia ousada e uma série convincente de campanhas e soluções que demonstraram claramente a capacidade de manter o Grupo Pão de Açúcar como uma empresa inovadora na área de comunicação interna.”

 

Unir as metodologias de comunicação britânica à criatividade brasileira está entre as inovações que a Sherlock Digital oferece às empresas do país, implementando as melhores práticas do mercado internacional nos processos de comunicação nacional. “Entendemos a necessidade de melhoria no processo de comunicação via e-mail do Grupo do Pão de Açúcar e buscamos por meio de nosso know-how criar ferramentas e processos de comunicação suficientes para fornecer uma melhoria que possa ser mantida em longo prazo. Muito além da ação, queremos garantir a aceitação genuína e o apoio de todos os colaboradores”, explica Viviane Cordeiro.

 

Sobre a Sherlock Digital
Fundada em 2013, com sede em Londres e São Paulo, a Sherlock Digital (www.sherlockdigital.net) apresenta uma maneira diferente de Consultoria de Comunicação Digital. A união da metodologia britânica de planejamento e mensuração de comunicação, trazida pela experiência de cada um membro da equipe permite oferecer aos clientes planejamento, insight e consultoria, soluções e serviços técnicos, além de gerenciamento e avaliação de campanhas. A Sherlock Digital combina experiências e expertises internacionais, trabalhando com uma grande variedade de empresas como companhias blue-chip, organizações globais para star-ups, instituições sociais a entidades de caridade.

Sobre o Grupo Pão de Açúcar
O GPA é o líder no segmento varejista do Brasil e opera com aproximadamente 1.500 lojas em 19 estados e no Distrito Federal. Com 51 centros de distribuição, sua atuação é sustentada por uma estrutura multi-formato, que permite atender às necessidades de consumidores de diferentes regiões e classes socioeconômicas com um equilíbrio entre supermercados (Pão de Açúcar e Extra Supermercado), hipermercados (Extra Hiper), lojas de produtos eletrônicos/eletrodomésticos (Ponto Frio e Casas Bahia), lojas de proximidade (Minimercado Extra), atacado de autosserviço (Assaí), postos de combustíveis, drogarias e operações de comércio eletrônico (Extra.com.br, PontoFrio.com, CasasBahia.com.br).

 

Para mais informações:

Rodrigo Thedim, Sherlock Digital
rodrigo@sherlockdigital.net

Skype: rtsilvado

 

– – –

Trabalhos iniciados em Março/2014.

KOSÉ - horizontal

Grupo Kosé entra no setor brasileiro de cosméticos com agência anglo-brasileira

Posted by | Cases, Estratégia, Planejamento, Varejo | No Comments
Agência Sherlock Digital responderá pelo desenvolvimento das ações digitais,
 de comunicação e marketing da marca e seus produtos.


O Grupo Kosé, um dos fabricantes de cosméticos mais respeitados do Japão e que está comemorando 70 anos de fundação em 2016, chega este mês no mercado nacional com o lançamento do site www.kosebrasil.com.br.

Assinado pela agência Sherlock Digital, o portal é apenas o primeiro passo da estratégia de relacionamento Kosé com o consumidor brasileiro e dá início a parceria da agência anglo-brasileira com a fabricante japonesa na missão de expor o que há de melhor em pesquisa, tecnologia e desenvolvimento de produtos aplicados ao segmento de Beauty Hair.

O Diretor Geral da Kosé Brasil, Marcelo Carneiro, explica que o perfil diferenciado da agência foi o fator determinante para o início da parceria: “A Sherlock Digital une a metodologia britânica de planejamento e mensuração de comunicação com a criatividade e dinamismo da comunicação digital brasileira, características essenciais para entrar no mercado brasileiro de forma estratégica. Outro fator decisivo foi nossa necessidade de contar com um atendimento que vá além do tradicional. Precisamos de gente que faz e se senta do nosso lado da mesa”.

No desenvolvimento das ações para o Grupo Kosé, a Sherlock Digital aplicará todo seu know-how em comunicação e marketing digital, adquirido por meio da experiência de seus profissionais na atuação em agências de comunicação e publicidade, consultorias, bancos, seguradoras, universidades e varejistas no Reino Unido e no Brasil.

Em sua atuação no Brasil, a agência reúne cases de sucesso em um portfólio diversificado envolvendo os mais diferentes campos do marketing digital.  Entre eles estão trabalhos realizados para companhias como GPA (Grupo Pão de Açúcar), FGV-EESP (Fundação Getúlio Vargas – Escola de Economia de SP), Robert Half©, IBÁ (Indústria Brasileira de Árvores), organizações globais, start-ups, instituições sociais e de caridade.

—————

Sobre o Grupo Kosé: Fundado em 1946, o Grupo Kosé é uma das maiores indústrias de cosméticos do Japão. Com matriz localizada em Tóquio, a indústria é conhecida globalmente por sua forte capacidade de investimento em pesquisa e tecnologia para o desenvolvimento de produtos exclusivos, assim como reconhecida pelos consumidores por seus cosméticos de alta qualidade. Entre as marcas fabricadas pelo Grupo estão Stephen Knoll New York (SKNY), Decorté, Jill Stuart New York e Sekkisei.

 

Para mais informações:

Rodrigo Thedim, Sherlock Digital
rodrigo@sherlockdigital.net

Skype: rtsilvado

Smartphones (credit Maurizio Pesce)

COMUNICAÇÃO MOBILE – 6 etapas para a construção de uma estratégia eficaz

Posted by | Comunicação interna, Estratégia, Planejamento | 2 Comments

Como construir uma estratégia mobile verdadeiramente eficaz? Por que tantas empresas ainda não preparadas para investir neste canal?

Uma pesquisa publicada recentemente pela Econsultancy e Adobe ajuda a esclarecer estas e outras questões. Realizada com 4.000 comerciantes globais, a análise apontou que quase dois terços das empresas pretendem aumentar os seus investimentos em comunicação mobile em 2015, mas, entre elas, apenas 34% têm uma estratégia de longo prazo definida.

Por que tão poucas empresas têm sido capazes de implementar este tipo de estratégia? Em meu ponto de vista, há uma teoria simples para explicar este fenômeno.

Para a maioria das pessoas, o conceito “móvel” é confuso. Ele pode ter muitos significados possíveis. Pense nisso: Para você, o que realmente significa uma ação de comunicação que envolve o modelo mobile.  Investir em App, dispositivo tablet, sites responsivos, tecnologias para utilização da equipe interna ou experiência do consumidor?

A lista de possiblidades e contextos é vasta e pode, naturalmente, conduzir a falta de foco na estratégia da ação.

Mas, ao invés de gastar mais tempo estudando sobre a semântica da palavra, eu sugiro uma abordagem diferente.
Em vez de pensar o modelo de comunicação via móvel como um canal ou uma tecnologia diferenciada, aconselho refletirmos sobre o que realmente envolve uma ação móvel, assim como a respeito da necessidade de um pensamento diferente em relação à esta ferramenta.

Quando uma empresa decide adotar a estratégia mobile, isso exige uma mudança de cultura sobre a sua forma de comunicação, de planejamento de campanhas e projetos, assim como a respeito das entregas de comunicação (interna e externa). Estes são os pontos nos quais investimento tempo e orçamento e, por isso, merecem nossa total atenção. Além disso, a implementação do mobile também requer uma transformação na capacidade da empresa em contar com uma equipe preparada, possuir processos de back-end e estruturas sólidas de apoio contínuo às atividades móveis.

Para se desenvolver uma estratégia móvel eficaz, a longo prazo, há seis etapas básicas que toda empresa precisa seguir:

1. Comece com a análise de seu público-alvo e da base de usuários. Onde há potencial dentro da minha rede de relacionamento para aumentar o uso do mobile?  Quais são os tipos de interação do meu público com a marca hoje? Em alguns contextos, isso pode se apresentar tão simples como o relacionamento da empresa com sua equipe de vendas. Aliás, se você é uma empresa B2B, a sua equipe de vendas é um forte público para a audiência móvel.   Pense sempre em como poderia acontecer esta interação. Por exemplo, levante informações sobre as preferências em dispositivos e os modelos de aplicativos mais populares entre seu público. Conheça sua rotina diária e as expectativas desta interação, isso pode ajudá-lo a alcançar o sucesso na ação. É necessário surpreender e agregar algum valor dentro deste contexto, para assim alcançar o engajamento esperado, principalmente dos primeiros usuários.

2. Procure alinhar a ação mobile aos objetivos de negócios da empresa.  Qual é o objetivo de negócio e o que pretendo alcançar nos próximos dois anos? Quais são os possíveis obstáculos a serem superados para atingir esses objetivos? Existem oportunidades mobile que contribuem na conquista dos objetivos de negócios, mas é preciso ser cauteloso na análise sobre o quanto esta solução é necessária para a realidade da empresa. Muitas vezes, outros formatos de campanhas e canais digitais podem ser igualmente eficazes a curto prazo. A falta do pensamento estratégico no objetivo da ação muitas vezes resulta na realização de dois ou três projetos-pilotos, sem o retorno esperado, até que se consolide um plano móvel global de sucesso. As ações mobile possuem algumas exigências específicas que outros canais não necessitam, por isso é preciso analisar o contexto de todas as outras atividades digitais existentes, assim como a estratégia adotada. Como Vincent Stuhlen, responsável para divisão digital da L’Oreal Luxe, disse recentemente: “uma companhia não deve ter uma estratégia móvel porque tudo deve ser mobile”. Iniciativas mobile existem para apoiar o seu negócio, e não o contrário.

3. Avalie sua forma particular de utilização do mobile. Pense sobre sua relação com o dispositivo móvel. Eu imagino que esta tecnologia acompanha você desde a hora em que você acorda até a última coisa que você verifica antes de ir dormir. Se o celular tem uma grande prioridade em sua vida particular e na dos consumidores em geral, certamente também apresenta uma alta preferência na sua empresa e entre seus colaboradores. Inicie discussões com o alto nível gerencial sobre uma estratégia inicial que envolva diferentes departamentos e partes interessadas. Identifique as eventuais necessidades, as oportunidades e os públicos de interesse para começar a colocar “a ideia” de um projeto de comunicação por celular em prática.

4. Conquiste a colaboração dos departamentos e funcionários. Para construir uma estratégia eficaz você precisa do engajamento dos públicos para criar um grupo de apoiadores internos em toda a empresa. Este grupo será essencial para disseminar a ação por meio da educação sobre a utilização da ferramenta, assim como para mostrar seus diferenciais e atributos de melhoria de processo para todos os envolvidos. Isto não se trata somente de uma pessoa ou do trabalho de um departamento, para ser bem-sucedido o sistema colaborativo na implementação da estratégia é fundamental.

5. Desenvolva um case de negócio apropriado. É preciso adequar o projeto aos prazos e necessidades de todos os departamentos envolvidos (vendas, comunicação, RH etc.). Realizar uma pesquisa prévia, qualitativa e/ou quantitativa, para buscar informações sobre as expectativas dos públicos em relação a comunicação, é essencial para criar uma solução de resultados. Um projeto com base em dados concretos, a longo prazo, tem mais chances de resgatar o investimento realizado, seja em recursos humanos, financeiros e materiais. Com a pesquisa é possível estabelecer importantes métricas de ROI, fator que contribuirá na orientação do orçamento, assim como na justificava e defesa do investimento frente aos gestores com poder de decisão.

6. Finalmente, seja ousado ao investir no projeto. Cada nova iniciativa envolve algum elemento de risco calculado. Investir em ações de mobile, algo relativamente novo para grande parte das empresas, pode ser uma ótima maneira de demonstrar sua atenção em relação à melhoria dos processos e ferramentas de trabalho da equipe. Com um grupo motivado, sua marca cria uma rede de colaboradores engajados e com um sendo compartilhado de responsabilidade sobre o sucesso da empresa. Trabalhar em equipe, dividindo histórias de oportunidade inovadoras (de sucesso ou não), assim como a experiência adquirida ao longo do caminho é ir muito além de contribuir para o crescimento profissional dos envolvidos, mas também motivá-los a segui-lo!

Entenda mais sobre os nossos projetos e entre em contato conosco.

Imagen: Maurizio Pesce

what-is-content-marketing - Font Image Source_Google (1)

DE OLHO NA LUPA: Marketing de conteúdo

Posted by | De olho na lupa, Estratégia, Marketing de conteúdo, Melhores práticas, Planejamento | No Comments

VIVIANE CORDEIRO
Marketing de conteúdo: histórias que envolvem sua marca e vão além de um bom storytelling. Mas, você sabe como contar a sua história?

O marketing de conteúdo é um formato de comunicação muito praticado pelas empresas internacionais e que está chegando ao Brasil com força total. Ele se resume em uma maneira personalizada de comunicação que visa não apenas vender um produto ou serviço, mas sim oferecer conteúdo relevante e de qualidade, gratuitamente, que proporciona ao público-alvo o esclarecimento de dúvidas, a resolução de problemas e o aumento do conhecimento sobre questões que façam parte da expertise da empresa. É a busca do engajamento por meio da informação.

O planejamento desta tendência internacional de comunicação para sua marca exige conhecimento sobre algumas questões importantes:

Pesquisa: procure informações sobre quais são as necessidades e interesses de seu público em relação ao universo que envolve seu produto e/ou serviço.

Objetivo: questione qual é o perfil/oferta da marca que pode gerar empatia com o perfil do público.

Personalidade: crie uma identidade /personalidade própria para falar com o público.

Linguagem: escolha um estilo editorial apropriado e que possa ser utilizado igualmente nos diversos canais de comunicação da empresa.

Foco: centralize seu esforço em redes de comunicação consolidadas e que são adequadas ao perfil do seu público.

Blog e redes sociais: utilize como canais blog e/ou redes sociais, mas sempre bem formatados, monitorados e atualizados por profissionais capacitados.

Conteúdo: desenvolva uma comunicação consistente e coerente contando histórias que abordem temas de know-how da sua empresa.

Plataforma adequada: proporcione agilidade e alta acessibilidade ao conteúdo. Blogs em plataformas inadequadas, ou com tecnologias ultrapassadas, dificultam a comunicação e demonstram falta de cuidado com a marca.

O segredo do marketing de conteúdo é a forma como as mensagens e histórias sobre sua marca são contadas. Somente uma pessoa pode contar uma história, por isso a definição de uma personalidade para a marca, ou seja, transformá-la em uma locutor humanizado, pode ser essencial para o sucesso da ação. Além disso, o discurso desta pessoa (marca humanizada) precisa estar de acordo com os hábitos de seu público dentro dos canais e redes de comunicação acessíveis à ele.

Existem metodologias de comunicação que ajudam as empresas a levantar o perfil e hábitos do público de interesse, estabelecer a personalidade da marca, assim como orientar a estratégia de desenvolvimento de conteúdo e formar mensagens e histórias que despertam engajamento com a informação.

Nossa experiência e metodologia própria podem ajudá-lo. Venha conversar conosco sobre marketing de conteúdo.